Pela primeira vez, você pode jogar no Netflix

 A Netflix deu seus primeiros passos em jogos com cinco jogos móveis agora jogáveis ​​por meio de seu aplicativo Android, incluindo dois jogos baseados em Stranger Things.


Depois de anunciar que se aventuraria no espaço de jogos no início deste ano, a Netflix finalmente adicionou jogos diretamente em seu aplicativo principal pela primeira vez. 

Os cinco jogos disponíveis em dispositivos Android no momento são Stranger Things: 1984, Stranger Things 3, Shooting Hoops, Card Blast e Teeter Up. Para jogar, os usuários devem baixá-los primeiro - da mesma forma que fariam para assistir a algo offline .

Nenhum dos cinco jogos é totalmente novo ou desenvolvido pela própria Netflix. Os dois jogos Stranger Things foram lançados anteriormente como jogos independentes para combinar com as temporadas anteriores do programa, enquanto Shooting Hoops, Card Blast e Teeter Up - todas ofertas mais casuais - estavam disponíveis online antes que a Netflix os adquirisse.

Os jogos ficam em seu próprio carrossel na biblioteca principal da Netflix e estão disponíveis para qualquer pessoa inscrita na  camada Básica da Netflix e superiores. Eles vêm sem custo extra, não contêm anúncios e não apresentam compras no aplicativo.

Vários usuários podem jogar ao mesmo tempo, embora isso dependa do tipo de assinatura, já que certas camadas permitem que apenas um número limitado de dispositivos usem o Netflix simultaneamente.

No entanto, os jogos não estão disponíveis nos perfis Kids - nenhuma palavra foi confirmada sobre se isso vai mudar no futuro. Se as crianças desejam jogar, devem acessar a conta de um adulto. Se estiver bloqueado por um PIN, será o mesmo código usado para acessar a conta em geral.

Além disso, nem todos os jogos exigem uma conexão com a Internet para serem jogados, embora o Netflix não tenha especificado exatamente quais deles têm essa capacidade. Eles estão disponíveis em vários idiomas, mas se o seu idioma ainda não estiver disponível, o jogo será o inglês por padrão. 

Infelizmente, os dispositivos iOS não receberão os jogos no lançamento. No entanto, a Netflix confirmou que esse novo recurso estará chegando aos dispositivos da Apple "nos próximos meses". 

Isso pode ser resultado das políticas restritivas da App Store da Apple sobre jogos em nuvem, que já impediram que jogos em nuvem do Google Stadia e do Xbox da Microsoft fossem lançados em iPhones via aplicativo - ambos executados em navegadores da web.

Maior parte do abono salarial beneficia menos pobres, revela Tesouro

Gastos com benefícios trabalhistas crescerão mais que PIB

Criado para estimular a formalização no mercado de trabalho, o abono salarial está beneficiando principalmente os menos pobres. Essa é a conclusão de estudo do Tesouro Nacional divulgado essa semana sobre os gastos com benefícios trabalhistas.


De acordo com o estudo, 58,3% dos recursos do abono salarial pagos em 2017 foram apropriados pelos 50% menos pobres da população, que ganham mais de R$ 1.220 mensais, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Entre 1997 e 2017, a fatia paga aos 30% mais pobres caiu de 24% para 17%.
Segundo o estudo, o abono salarial – espécie de 14º salário pago a trabalhadores com carteira assinada que ganham até dois mínimos – tornou-se um benefício mal focalizado por causa de valorização do salário mínimo. Essa política beneficiou os trabalhadores formais mais pobres, porém aproximou o salário mínimo do salário mediano da economia nas últimas décadas, deixando de concentrar-se na parcela mais pobre da população.
Para o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, o benefício passou a ser ineficiente na distribuição de renda. “O filho de bilionário que esteja no primeiro emprego e receba entre 1 e 1,5 salário mínimo pode ter direito a abono. É a regra do benefício. Já o Bolsa Família, pelo contrário, vai de fato para mais pobres, é bem focalizado. O Bolsa Família é um programa barato, que custa cerca de 0,5% do PIB [Produto Interno Bruto, soma dos bens e serviços produzidos]. Temos de tornar o gasto público mais distributivo”, disse Almeida ao divulgar o estudo.
Na reforma da Previdência, o governo tentou restringir o pagamento do abono salarial aos trabalhadores que recebem apenas o salário mínimo. A Câmara dos Deputados aumentou um pouco o limite, para 1,2 salário. O Senado, no entanto, derrubou a mudança na votação em primeiro turno, mantendo as regras atuais e reduzindo a economia com a reforma em R$ 76,4 bilhões nos próximos dez anos.

Gastos

O estudo analisou a evolução dos gastos do abono salarial e do seguro-desemprego. Segundo o Tesouro, as despesas com os dois principais benefícios trabalhistas do país continuarão a aumentar nos próximos anos em ritmo maior que o crescimento da economia e pressionarão cada vez mais o teto de gastos.
De acordo com o estudo, os gastos com o abono salarial subirão 41,6% de 2018 a 2030, numa expansão de 2,9% ao ano. As despesas com o seguro-desemprego saltarão ainda mais: 50,1% no mesmo período, equivalente a 3,4% ao ano.
Para estimar o PIB, o documento considerou as projeções da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, que apontam crescimento da economia de 0,9% em 2019, 2,32% em 2020 e 2,5% ao ano de 2021 a 2023. Não foram divulgadas estimativas do PIB para os demais anos.
O Tesouro não pressupõe a mudança nas regras de concessão dos benefícios. Para o salário mínimo, o estudo considerou o reajuste apenas pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) até 2022 e pelo INPC mais o crescimento do PIB de dois anos antes a partir de 2023.

Evolução

Apenas em 2018, o Brasil gastou R$ 53,6 bilhões (0,78% do PIB) com o abono salarial e o seguro-desemprego. Nos últimos dez anos, aponta o estudo, as despesas com os dois benefícios cresceram, em média, 1,5% ao ano acima da inflação, mais que a média de expansão do PIB de 1,3% por ano nesse intervalo.
O maior aumento ocorreu de 2009 a 2014: 7,9% de crescimento acima da inflação por ano, contra expansão média da economia de 3,4% do PIB. De 2014 a 2018, em contrapartida, os gastos caíram: 5,9% por ano descontado o INPC, enquanto o PIB recuou 1,2% anualmente no mesmo período. Apesar da queda nos anos recentes, o Tesouro considera que, no médio prazo, os gastos com o seguro-desemprego e o abono salarial crescem mais que o PIB.

Contradição

Na maioria dos países, o gasto com o seguro-desemprego cresce em períodos de recessão e caem em épocas de crescimento econômico. O estudo procurou desvendar por que ocorre o contrário no Brasil. “De fato, é bastante difundida a visão de que haveria uma relação direta e positiva entre a despesa com o seguro-desemprego e a taxa de desemprego. Entretanto, a relação observada na última década tem sido justamente a oposta”, destacou o levantamento.
Conforme o estudo, a formalização do mercado de trabalho nos anos de crescimento econômico e a política de aumentos reais (acima da inflação) do salário mínimo explicam o desempenho contraditório dos gastos com o seguro-desemprego. O trabalho destacou que a desaceleração da economia a partir de 2014 e a recessão em 2015 e 2016 interromperam a formalização do mercado de trabalho brasileiro.
Em 2001, 26,5% da população economicamente ativa trabalhava com carteira assinada. A proporção passou para 37,32% em 2013. Dessa forma, a ampliação dos gastos com o abono salarial e o seguro-desemprego decorreu da ampliação do público alvo dos programas. O gasto também foi influenciado pelo aumento real do salário mínimo.

O que a mudança brusca de temperatura durante o eclipse da superlua pode ajudar a revelar

Os eclipses lunares como o que se viu nesta quarta-feira são um grande espetáculo.

Quem observou o céu conseguiu apreciar uma lua mais brilhante e maior, conhecida como superlua, que também coincidiu com um eclipse, com uma lua azul e uma lua de sangue, que resultou em imagens incríveis.



Mas os cientistas que investigam as características do satélite natural da Terra ganharam mais um presente.
Eclipses como o de quarta-feira são uma oportunidade perfeita para estudar a Lua usando uma câmera térmica astronômica, de acordo com a agência espacial norte-americana Nasa.
"Durante um eclipse lunar, a oscilação da temperatura é tão dramática que é como se a superfície da Lua passasse de um forno a um freezer em poucas horas", explica o cientista Noah Petro, do Orbitador de Reconhecimento Lunar da Nasa.
A temperatura na superfície lunar durante um eclipse varia entre 93°C e -128°C.

O regolito

A mudança de temperatura é extrema e ocorre em um período relativamente curto.
Do Observatório Haleakala, na Ilha de Maui, no Havaí, pesquisadores americanos fizeram testes medindo comprimentos de ondas invisíveis para detectar o calor.
O principal objetivo foi estudar as características do regolito, a camada que recobre as rochas tanto na Lua quanto na Terra - formada por materiais diferentes em cada um desses astros -, diz a Nasa.
Ter uma compreensão clara de qual é a composição do solo na Lua é valioso para que as futuras missões tripuladas localizem pontos confiáveis ​​para fazer um pouso lunar.
"Se você quiser pousar em um ponto, você quer ter certeza de que é um lugar seguro e relativamente livre de rochas", disse o cientista da Nasa Rick Elphic à NPR (Rádio Pública Nacional dos Estados Unidos, na sigla em inglês).
"Um lugar onde suas botas não vão afundar em 18 polegadas (45 cm) ou algo assim", diz ele.

O lado escuro das crateras

O eclipse desta quarta-feira também ajudou no mapeamento da superfície lunar, uma tarefa que centros como o Orbitador de Reconhecimento Lunar têm a oportunidade de realizar uma ou duas vezes por ano, quando ocorrem eclipses lunares totais.

"Toda a natureza da Lua muda quando é observada com uma câmera térmica durante um eclipse", diz Paul Hayne, do Laboratório de Física Atmosférica e Espacial da Universidade de Colorado Boulder. Ja que estamos falando da superlua que tal ficar sabendo sobre o Calendário Lunar  no site BR Acontece.

Inicio



Meus Links


BR - SE - CA - FR - COM - IT - JP - CO - PT - RU - MX - TR - IN - AR - PE - ES - NO - NL - AU - DE - UK - GR - CH - SG - AE - CZ - IL - DK - FI - KR - IE - MY - AT - ID - QA - EG - NG - BY - CL - RO - KE - HR - SI - DK - SK - KR - EI - NZ - IS - LI - TW - RS - HK